Últimas Notícias do Brasil e do Mundo - Notícias Online - Notícias de Hoje - Notícias de Última Hora - Site de Notícias

Notícias | Visite...
Presidente dos EUA tuitou em inglês e em persa mensagem contra o regime de Teerã: 'O povo iraniano merece futuro melhor', escreveu. Donald Trump pronuncia discurso sobre o Estado da União em Washington Jim Young/Reuters O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu em persa – língua oficial do Irã – uma crítica à Revolução Islâmica iraniana, que completou 40 anos nesta segunda-feira (11). O movimento deu origem a um regime considerado hostil pelo governo norte-americano. Em persa e em inglês, Trump escreveu: "40 anos de corrupção. 40 anos de repressão. 40 anos de terror. O regime do Irã só produziu 40 anos de fracasso. O sofrido povo iraniano merece um futuro muito mais brilhante". Initial plugin text Trump x Irã Montagem com fotos dos presidentes dos EUA, Donald Trump, e do Irã, Hassan Rouhani AP Photo Donald Trump tem posições bastante críticas ao regime teocrático de Teerã, tanto pela questão israelense – inimigo do Irã – quanto pelas acusações de que o país asiático desenvolve tecnologia capaz de construir armamento nuclear. As tensões entre a Casa Branca e o Irã diminuíram ao longo do governo de Barack Obama, que fechou um acordo com o regime iraniano para relaxar sanções impostas ao país asiático em troca de restrições à produção de energia em usinas nucleares. Trump, porém, anunciou a retirada do acordo em maio de 2018. O atual presidente norte-americano acusa o regime iraniano de patrocinar o terrorismo. Desde então, o republicano voltou a impor sanções ao Irã, sobretudo na área energética. Irã quer expandir programas de mísseis Irã mostra míssel de cruzeiro Hoveizeh com longo alcance Ministério da Defesa iraniano via AP Também nesta segunda-feira, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que o país está determinado a expandir seu poderio militar e programa de mísseis balísticos, apesar da crescente pressão de países para restringir seu trabalho defensivo, informou a TV estatal do país. "Não pedimos e não pediremos permissão para desenvolver tipos diferentes de mísseis e vamos continuar nosso caminho e nosso poderio militar", disse Rouhani.